segunda-feira, 25 de abril de 2011

Hoje deixei de acreditar no AMOR

Hoje deixei de acreditar no amor terreno.
Para mim sei que nunca vai existir. Pelo menos como eu gostaria...
Muitos confundem amor com desejo e desejo com amor.
E eu também estou nesse rol.
Achamos que quem nos deseja nos ama e deixamo-nos embrenhar por esse desejo em nome do nosso amor.
E mais tarde ou mais cedo percebemos que tudo não passa de uma ilusão.
Uma ilusão terrena como todos os hologramas terrenos criados para passarmos e vivenciarmos as nossas experiências e sentirmos as suas emoções despertadas com as mesmas.
Hoje decidi que de facto o amor terreno não é para mim.
Não consigo dissociar toda a magnitude do amor universal da experiência fantástica que dizem que é amar alguém e por isso, amo sempre de uma forma muito mais grandiosa do que aqueles que me amam a mim. Sim, sou pretensiosa.
Mas já me dizia há 7 anos atrás o meu querido Antonio Rosa, que mesmo com 80 anos, eu iria ser sempre muito mais profunda que o namorado que tiver nessa altura.
Portanto, não me restam muitas esperanças de ainda vir a encontrar o principe encantado que me vem salvar no cavalo branco e levar para bem longe desta vida que me prende e sufoca.
Quando estudei filosofia no 10º ano, discordei com o meu prof que afirmava "O amor é uma prisão!" Hoje concordo com ele. O amor terreno é uma prisão, e eu estou cansada de estar presa.
Viva a Liberdade!
Viva ao Universo!

Sem comentários: